Exposições

Dom Paulo Evaristo Arns

Depois de uma temporada na região central, a exposição Dom Paulo Evaristo Arns chega à zona norte da capital paulista. O evento permanecerá no Centro Cultural da Juventude Ruth Cardoso, na Vila Nova Cachoeirinha, de 3 de março a 26 de abril, com entrada franca. Dom Paulo morreu em dezembro de 2016, aos 95 anos.

Segundo os organizadores, a exposição foi preparada tendo como principal alvo o público jovem e estudantes, incluindo um núcleo para receber escolas.

Os 1.200 metros de espaço incluem elementos interativos e multimídia. É dividida em seis eixos temáticos: Democracia, Política, Sociedade, Legado Intelectual, Igreja e Comunicação. E mostra a relação do cardeal com o povo da rua, com os direitos humanos, perseguidos políticos, operários e movimento sociais.

A curadoria e coordenação são das jornalistas Evanize Sydow e Marilda Ferri, autoras do livro Dom Paulo Evaristo Arns – um homem amado e perseguido, lançado originalmente em 1999 e republicado em 2017. O evento tem apoio das secretarias municipais de Direitos Humanos e Cidadania e de Cultura.

Em um dos ambientes, o visitante encontrará dois totens nos quais poderão responder questões relacionadas a temas como democracia e direitos humanos – este último também terá um jogo de amarelinha. Em outro, há um “mini campo” do Corinthians, time do coração de Dom Paulo, em que o público é convidado a formar “times” e também responder perguntas.

A exposição mais uma vez tem uma “reprodução” do Deops (Departamento de Ordem Política e Social), um dos centros de tortura ativos durante a ditadura. E uma peça interativa, Memórias e Resistência, com texto de Tin Urbinatti e Izaías Almada, com apresentações de quarta a sábado, às 14h30 e 16h30.

Os espectadores serão conduzidos de “cela em cela”. Nesse mesmo espaço, uma versão gigante do livro Brasil: Nunca Mais, lançado em 1985, com denúncias sobre torturas, e uma área que remete à vala clandestina do cemitério de Perus. Os 30 artigos da Declaração Universal dos Direitos Humanos são lidos por 30 pessoas, entre refugiados, moradores de rua e artistas.

O Centro Cultural da Juventude Ruth Cardoso fica na Avenida Deputado Emílio Carlos, 3.641, Vila Nova Cachoeirinha. A exposição abre dia 3 de março, às 11h, e vai até 26 de abril, de terça a domingo, das 10h às 22h.

Ficha Técnica

Curadoria: das jornalistas Evanize Sydow, Marilda Ferri e Marian Angela Borsoi | Coordenação Executiva: Cleber Cardoso Nunes | Produção Executiva: Paulo Sérgio Sarra | Assessoria técnica e Implantação da exposição: Celophane Cultural | Instalações Interativas e Imersivas: NoiseTupy Produções Audiovisuais ! Artistas plásticos: Robert Pinheiro e Oswaldo Gaia | Montagem: Cenografia Sustentável e Grandes Eventos


ATENÇÃO: Os comentários publicados nesta seção são de responsabilidade integral de seus autores e não representam a opinião da Celophane Cultural. Lembramos que não são permitidas mensagens com propagandas, conteúdos ofensivos, discriminatórios e desrespeitosos.


#OcupaSacy

jun 14, 2019

O Rouxinol e a Rosa

jun 13, 2019